Leila
Leila
R$ 44,00
Autor(es): Tino Freitas Ilustrador(es): Thais Beltrame
Tamanho: 26x20cm Páginas: 52 Faixa Etária: A partir de 8/9 anos ISBN: 9788594680334 Categoria: Tema: Assédio e Violência Infantil; Amizade; Relações sociais/comportamento; Maravilhoso fabular/fábulas/apólogos

O texto, que é uma narrativa pertencente ao maravilhoso fabular, vem acordar o leitor para o poder da voz. Ambientado no fundo do mar, metaforiza o poder da força vital, do inconsciente e do infinito, segundo o Dicionário de símbolos (há vários publicados). Leila, a baleia, é assediada pelo Barão que, contra a sua vontade, a beija, sussurra seduções, pede segredo e ainda corta os seus cabelos. Calada e petrificada, o terror toma conta de seu ser, e ela desiste de nadar, mas ajudada pelos amigos, retoma a sua essência e a sua voz, dando fim às ameaças do agressor.

  • Conversar com a turma, com adequação e delicadeza, sobre os perigos das abordagens não consentidas, os medos que paralisam e a necessidade de contar o problema para o adulto, pais e/ou educadores.
  • Em turmas com maior amadurecimento leitor e emocional podem ser discutidas questões como: violência contra a mulher; feminicídio; feminismo e repressão; silêncio e denúncia; resistência e crescimento pessoal; vozes e/ou campanhas representativas na luta contra o assédio, por exemplo.
  • Analisar com os alunos o projeto gráfico: a capa, as cores, as luzes e sombras, a mudança de tamanho das letras e outros detalhes que o leitor, certamente, vai apontar (ver também a biografia da ilustradora).
  • Divididos em grupos, propor a construção de uma pequena maquete reproduzindo uma cena do livro à escolha e que mostre legendas variadas (uma para cada grupo): Liberdade!; Justiça!; Respeito!; Amizade!; Confiança!; Não é Não! (ou outras que a turma escolher). Na oportunidade, reler a quarta capa assinada por Leo Cunha.
  • Convidar um orientador educacional ou psicólogo para falar sobre o tema do livro e assuntos similares divulgados pela mídia.
  • Produção de texto: estimular a turma a construir um texto coletivo ou produzido individualmente, em prosa ou em versos, sobre a vida da Leila hoje após a retomada de consciência e do exercício da voz – que sabe denunciar e exigir seus direitos: “Uma nova Leila”.